Conversação em Libras on-line é gratuita e aberta a todos

20/07/2021 18:03

Para participar, basta fazer o agendamento.
Para participar, basta fazer o agendamento.

Todas as quartas-feiras é possível aprender um pouco sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras. A Conversação em Libras é um projeto mantido pelo Departamento dos Direitos da Pessoa com Deficiência, da Prefeitura de Curitiba, e acontece todas quartas-feiras, das 9h às 11h.

A participação é gratuita e aberta a qualquer pessoa que queira aprender sobre Libras. Em razão da pandemia, os encontros agora são realizados de forma on-line, pela plataforma do Google Meet. Isso acabou expandindo as fronteiras da Conversação em Libras e hoje pessoas surdas e ouvintes do Brasil inteiro participam.

Nesta quarta-feira (21/7) o tema do encontro será sobre verbos, línguas e sinais usados no mundo inteiro. A participação é aberta para surdos e ouvintes.

“Se a pessoa não sabe nada sobre Libras, pode entrar que vai aprender algo”, explicou Daniela Cristina Silva Lima Ramos Guidugli, que gerencia o projeto Conversação em Libras no Departamento dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

Ela tem deficiência auditiva e trabalha como agente administrativa. Daniela passou no concurso público da Prefeitura de Curitiba em 2019, pela Lei de Cotas. Ela foi chamada no início de 2021 para trabalhar. 

Como participar

Qualquer pessoa pode participar da reunião on-line da Conversação em Libras, basta ligar nos telefones (41) 3221-2262 ou no (41) 99255-8206 e dar o nome para um cadastro.

“Essa pessoa vai receber o link pelo WhatsApp para participar da Conversação em Libras”, explicou Denise Moraes, diretora do Departamento dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

Denise conta que o projeto Conversação em Libras é feito desde o início de 2017. Antes, o encontro era presencial, na sede do Departamento, na Rua Schiller, 159, no Cristo Rei. “Esse serviço não parou durante a pandemia, mas teve que ser adaptado para o formato on-line”, disse Denise.

Daniela Guidugli afirma que todos são bem-vindos. “Nunca é tarde para aprender Libras e também conhecer a diversidade surda”, definiu.

Compartilhar

Mais notícias